quarta-feira, 30 de novembro de 2016

STF E O ABORTO - Mais uma prova de como somos idiotas e manipulados.

Não, não estamos falando de um assunto novo. Não se trata do Brasil ser o primeiro a debater longamente sobre o assunto e muito menos o primeiro a tomar decisão semelhante, que aliás, foi é muito tardia, mas deixemos essa polêmica para um próximo momento.

Às na manga dos bandidos de toga

Passamos neste momento por um dos períodos mais críticos na história contemporânea de nosso país.  Depois da queda da presidente Dilma, sob circunstâncias para lá de questionáveis,  e uma sequência que parece interminável de ataques à constituição, direitos individuais e trabalhistas e marginalização de movimentos sociais, estão em votação a PEC55 (antiga PEC241), também conhecida como PEC da morte ou PEC do teto, que limita e restringe os investimentos em saúde, educação, infraestrutura,
entre outros. Temos também  em votação,  a reforma do ensino médio que levou à ocupação de mais de 1300 instituições de ensino pelo país contra a decisão arbitrária de sucateamento e não vamos esquecer das 10 medidas contra a corrupção que não na verdade 10 medidas contra a CONSTITUIÇÃO, que vão render anistia ao caixa 2 de políticos, o fim da presunção de inocência e do habeas corpus, colocando o país a mercê do humor de qualquer policial ou juiz sem qualquer restrição ou garantia e de quebra, blindando políticos e eles mesmos, o judiciário, que se tornará intocável e todo poderoso.
Era de se esperar que esse cenário todo provocasse reações. Brasília se transformou ontem em uma verdadeira praça de guerra, com movimentos sociais e ativistas de vários segmentos e partes do país contra as votações e uma polícia violenta e truculenta, aos moldes do bandido capacho do PCC que ocupa o ministério da justiça, deu o tom que faltava para o cenário de reavivamento dos anos de chumbo.

Imagens da repressão policial de ontem:


Se para você ainda não parece óbvio que, encabeçando toda essa loucura e insanidade que dominam o Brasil está o judiciário, o STF, aconselho de todo coração que volte e reveja tudo que tem acontecido nos últimos anos, em especial nesse último e reavaliar sua visão da coisa toda. Estamos em meio a uma ditadura sem fardas, mas com togas, muito mais perigosa por ser difícil de detectar e muito difícil de derrubar.

Se a mídia começasse a cobrir as manifestações de acordo com seu peso, inevitavelmente, teria que falar sobre todas essas medidas em votação no congresso e senado e com isso, correr um risco imenso de dar ainda mais força a já significativa revolta popular. Qual a solução? A mesma de sempre desde os anos 70, distração.
Para causar a devida distração e colocar o país em seu habitual torpor e alienação, nada melhor do que um assunto pra lá de controverso e polêmico. E então o STF tira o seu às da manga, seu coelho da cartola, seu coringa do baralho, decide que o aborto feito até a 12ª semana de gestação não é crime.

Entra em jogo a boa e velha mídia tangendo o gado.

Pronto, a merda está feita. Deputados conservadores gritam e xingam, ameaçam retaliar o STF, formar comissões contrárias à decisão, líderes religiosos profetizam o fim dos tempos com a decisão e a mídia já tem o que cobrir via rádio, televisão e internet exaustivamente até que todas as medidas sejam votadas, todos os direitos e a constituição em jogo sejam aniquilados para que só então, o nosso povo que nunca aprende nada com sua história acorde, quando já não adiantar mais, quando já for tarde demais, provando assim que nada menos do que 50 anos, meio séculos sendo manipulados e controlados pela mídia e pela ignorância, não nos ensinou nada.

OBS: Começo a achar que o artigo que escrevi, "Manual prático para não ser feito de idiota pelas mídias" e tantos outros similares, deveriam se tornar matéria acadêmica do ensino fundamental ou básico...


Em meio ao torpor e indignação conseguida com essa mais do que tardia decisão do STF, ninguém tem tempo para prestar atenção, saber e entender a gravidade do risco que corremos, perceber que, de hoje até o próximo dia 13, seremos mergulhados em um tipo diferente de ditadura, a que já vivemos em partes, a do judiciário e que temos depois disso, bem poucas chances de nos livrarmos.
Esqueça sua adoração ou ódio mortal por Dilma ou PT, pouco importa se Temer é um traidor, usurpador, canalha ou só um bode (ou burro) expiatório, isso não importa mais. A partir de Janeiro de 2017, qualquer que seja o presidente eleito direta ou indiretamente, o comando do país passa de vez e irreversivelmente às mãos do crápula nojento do Gilmar Mendes e sua gangue, tudo isso porque estávamos ocupados demais decidindo se um embrião de 12 semanas é um bebê ou não, se uma mulher tem ou não o direito de decidir sobre a vida que carrega em seu próprio corpo, se vamos continuar enterrando mulheres vítimas de carniceiros em clínicas de aborto clandestinas ou vamos oferecer condições e apoio para que elas decidam sobriamente sobre essa questão, escolher se vamos matar um embrião antes das 12 semanas de concepção ou bradar que bandido bom é bandido morto e aborta-los depois de nascidos.



O aborto está acontecendo agora mesmo, mas não de um embrião ou feto, aborto da nossa sociedade, liberdade, direitos e dignidade. 
As manobras são do STF e da mídia, a CULPA. Ah amigos, a culpa é NOSSA e de nossa ignorância, burrice e alienação.

Fabiano "Abafh" Ruiz

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...